domingo, 5 de junho de 2022

Retorno das reuniões presenciais na capela

Graças a Deus e, certamente, com a intercessão de Nossa Senhora Auxiliadora, nossa congregação mariana volta à normalidade. Tivemos hoje a primeira reunião ordinária na Capela, substituindo as reuniões virtuais ou presenciais em outro endereço. 

O formato mudou um pouco, para facilitar a participação e avançar no crescimento. Antes da reunião, é compartilhado um vídeo no nosso canal do Youtube, que apresenta a pauta base em detalhes. Assim, é possível reduzir a duração do reunião para 15 minutos (desconsiderando-se a discussão de questões que surgem durante o encontro).

Desta forma, em seguida foi possível emendar um curso de formação para os aspirantes,  ministrado pelo nosso instrutor e vice-presidente, João Marcos. Hoje, tratou-se do papel de São Inácio de Loyola na criação dos jesuítas, dos quais surgiram as congregações marianas. 

Cremos que este rumo que tomamos impulsionará o crescimento e florescimento desta nossa congregação "bebê" (comparada com as demais de nossa Diocese), que comemorará seus 10 anos de existência no ano que vem. Que Nossa Senhora Auxiliadora e São José sempre nos protejam e guiem. Salve Maria!

domingo, 24 de abril de 2022

A Justiça de Deus é inseparável de sua Misericórdia

"Mas também existe o abuso da misericórdia, que é justamente a situação daquelas pessoas que, esquecendo que Jesus também é justo, não se importam em pecar, apenas dizem: Jesus é misericordioso e perdoa todo mundo; e isso é verdade. Jesus é misericordioso e perdoa todo mundo que acolhe a graça da misericórdia. Em que consiste o acolhimento da graça da misericórdia? É o arrependimento, é o firme propósito de não querer voltar a pecar. Se nós não levarmos isso em conta, vamos separar duas potências de Deus, duas essências de Deus que são inseparáveis: Deus é justo e misericordioso. Aquele que não confia na misericórdia de Deus, fica preso só na justiça, diz: eu mereço o inferno, por isso não tenho salvação; se perdeu porque não crê na misericórdia de Deus. O outro só acredita na Misericórdia de Deus e não leva em conta a sua Justiça; então, acha que pode continuar fazendo tudo 'de torto', porque no final Deus sempre salva. Ora, mais uma vez é uma negação da fé que, nos dois casos, traz muitas consequências. No primeiro caso, praticamente ninguém se salva; no segundo, ninguém se perde, e ambos se encontram no mesmo erro. São erros gerados pela falta de fé e pela falta de correspondência à graça da misericórdia e à graça da justiça."

Homilia do dia 24/abril/2022, proferida pelo Pe. José Henrique do Carmo (link do vídeo no Youtube na própria publicação abaixo).



domingo, 17 de abril de 2022

``Aleluia!'' a todas as nações

"'Aleluia' é uma expressão que só se encontra no sentido religioso; é uma palavra pura e unicamente religiosa. Usada em qualquer outra situação, não tem sentido. Essa palavra em inglês é 'Aleluia', em português é 'Aleluia', em árabe é 'Aleluia', em hebraico é 'Aleluia', em latim é 'Aleluia'. É uma palavra só, porque tem um sentido só. 'Aleluia' é a nossa expressão espiritual de alegria, alegria única que só pode ser dada por Cristo."

Homilia do dia 17/abril/2022, proferida pelo Pe. José Henrique do Carmo (link do vídeo no Youtube na própria publicação abaixo).



domingo, 10 de abril de 2022

Fuga para uma nova vida ou para os mesmos crimes?

"Mesmo diante de nossos pecados, Nosso Senhor não deixa de nos dizer e de nos propor que os nossos pecados possam ser perdoados. A diferença está na atitude dos dois ladrões. O bom ladrão, assim apelidado, São Dimas, ele vai dizer: eu reconheço, eu mereço este castigo, por causa dos crimes que eu cometi. O outro ladrão não está querendo reconhecer as culpas, está querendo fugir. Dá para se intuir que esse fugir não é para correr e fazer penitência para o resto da vida, mas fugir para provavelmente voltar aos mesmos crimes."

Homilia do dia 10/abril/2022, proferida pelo Pe. José Henrique do Carmo (link do vídeo no Youtube na própria publicação abaixo).



domingo, 3 de abril de 2022

Semana Santa: é preciso participar bem

"Até se percebe isso no tempo da Quaresma: há um aumento do número de pessoas dentro das igrejas, não só pelos que nasceram, mas aqueles que voltaram a frequentar. Pena que, nos anos passados (não vou falar do futuro, porque não cabe a mim), depois da Páscoa, já não se percebia a mesma quantidade de pessoas. Percebe-se até um erro de comportamento religioso na sexta-feira da Paixão, onde mais do que o dobro de pessoas está presente na procissão do Senhor morto, mas na cerimônia da Paixão, pouquíssimas pessoas vão, em comparação com a procissão. É porque é 3 da tarde? Se seu parente morrer e o velório for às 3 horas da tarde, você não vai? Não tem sentido. Então, é preciso pedir aos fiéis que as cerimônias da Sexta-feira da Paixão (o único dia do ano que não há missa) sejam bem vividas, tanto quanto se procura fazer na procissão que, liturgicamente ou piedosamente falando, é bem inferior à cerimônia da Paixão."

Homilia do dia 03/abril/2022, proferida pelo Pe. José Henrique do Carmo (link do vídeo no Youtube na própria publicação abaixo).